Esse tumblr foi criado para registrar tudo que aprendi na minha evolução como pessoa. Sou um homem negro, gay, da periferia de São Paulo, nascido e criado em uma igreja evangélica até os 22 anos. Durante parte da minha vida tive que viver uma vida dupla, até me aceitar. Tudo que passei até conseguir minha aceitação e da minha família estão registrados aqui.
E tudo que aconteceu depois também. Separe um tempinho para aprender comigo.

Install Theme

Posts tagged with ‘gay’

Guardei no Armário de cara nova!
Depois de anos de existência, resolvi voltar a dar mais atenção para esse cantinho de reflexão e aprendizado que eu tenho. E hoje resolvi dar um trato no blog, deixando ele mais fluído e mais simples para uma leitura mais leve já que é o que mais faço nele. 
Percebi que ele já vive por conta própria e que não importa se eu posto sempre ou a cada 4 meses, ele nunca deixou de ter uma visita diária de pelo menos 30 pessoas. 
O que vou deixar para trás

Vou deixar meu orgulho, por me cegar em momentos especiais, e me afastar das pessoas que amei e não tive coragem de falar.
Vou deixar minha tristeza, por me afastar das coisas alegres da vida, e só me trazer mais tristeza.
Vou deixar meu egoísmo, por querer tudo para mim e esquecer do próximo.
Vou deixar minha solidão, solidão que precisei para minha cabeça entrar nos eixos num momento de finalização de uma meta e sem saber que caminho seguir me perdi em meus pensamentos.
Vou deixar a vergonha, vergonha de expressar meus sentimentos e o que quero.
Vou deixar a preguiça, preguiça de sair de casa, de pegar trânsito, de me movimentar e questionar as coisas.
Vou deixar o apego, o desapego é necessário para seguir em frente, e saber quando devemos deixar as pessoas seguirem outro caminho para serem felizes.
Vou deixar a cobiça, a cobiça de querer sempre mais, e nem sempre o que queremos vai nos satisfazer, quero o necessário para meu conforto e da minha familia.
Vou deixar a desconfiança, a desconfiança não leva a caminho nenhum e só te traz perseguição e solidão.
Vou deixar a falta de tempo que é desculpa de todos as pessoas para não se verem, e encontrar as pessoas que me fazem bem e me fazem acreditar na vida.

Texto retirado desse tumglr: http://umavidasimplesipx.tumblr.com/post/2573667886/o-que-vou-deixar-para-tras      

Guardei no Armário de cara nova!

Depois de anos de existência, resolvi voltar a dar mais atenção para esse cantinho de reflexão e aprendizado que eu tenho. E hoje resolvi dar um trato no blog, deixando ele mais fluído e mais simples para uma leitura mais leve já que é o que mais faço nele. 

Percebi que ele já vive por conta própria e que não importa se eu posto sempre ou a cada 4 meses, ele nunca deixou de ter uma visita diária de pelo menos 30 pessoas. 

O que vou deixar para trás

Vou deixar meu orgulho, por me cegar em momentos especiais, e me afastar das pessoas que amei e não tive coragem de falar.

Vou deixar minha tristeza, por me afastar das coisas alegres da vida, e só me trazer mais tristeza.

Vou deixar meu egoísmo, por querer tudo para mim e esquecer do próximo.

Vou deixar minha solidão, solidão que precisei para minha cabeça entrar nos eixos num momento de finalização de uma meta e sem saber que caminho seguir me perdi em meus pensamentos.

Vou deixar a vergonha, vergonha de expressar meus sentimentos e o que quero.

Vou deixar a preguiça, preguiça de sair de casa, de pegar trânsito, de me movimentar e questionar as coisas.

Vou deixar o apego, o desapego é necessário para seguir em frente, e saber quando devemos deixar as pessoas seguirem outro caminho para serem felizes.

Vou deixar a cobiça, a cobiça de querer sempre mais, e nem sempre o que queremos vai nos satisfazer, quero o necessário para meu conforto e da minha familia.

Vou deixar a desconfiança, a desconfiança não leva a caminho nenhum e só te traz perseguição e solidão.

Vou deixar a falta de tempo que é desculpa de todos as pessoas para não se verem, e encontrar as pessoas que me fazem bem e me fazem acreditar na vida.

Texto retirado desse tumglr: http://umavidasimplesipx.tumblr.com/post/2573667886/o-que-vou-deixar-para-tras
      

Monja Coen Sensei mais uma vez me ensinando a viver.

Ter medo de amar não faz sentido.

O medo é uma sensação que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente como psicologicamente.

Porque ter medo de amar alguém?

O conceito mais popular de amor envolve, de modo geral, a formação de um vínculo emocional com alguém, ou com algum objeto que seja capaz de receber este comportamento amoroso e enviar os estímulos sensoriais e psicológicos necessários para a sua manutenção e motivação.

Sim, eu pulei de para-quedas e não tive medo. Algumas pessoas me perguntam até hoje o que o que eu senti na hora, qual foi a minha reação ou se eu achei que pudesse dar algo de errado?! 


A resposta é sempre a mesma, eu não senti medo. Eu simplesmente fui. E foi tão rápido que não tive tempo de processar tudo que vi, só senti, e hoje tenho muitas lembranças boas.

Talvez aí esteja a resposta para as outras questões que me anseiam a vida. E ela sempre esteve presente, quando decidi deixar da igreja para viver a minha verdade, quando decidi trabalhar na minha área, quando decidi me assumir para os meus pais, quando decidi andar de Standup, quando fui viajar para fora do país… e vários outros momentos que ficaram marcados na minha vida. Eu fui la e fiz. 

Eu sempre falo que o que eu desejo de verdade conseguir no tempo certo eu sempre conquisto o que espero. Eu não sabia o que procurava, quando o assunto era sentimentos. Não faz muito tempo, comecei a deixar de ouvir minha mente e começar a seguir meu coração. Esse terreno que eu não deixava ninguém entrar, inclusive eu mesmo. 

Esse terreno quase inabitado por pessoas que não são da minha família ou amigos muito próximos, é ainda escuro mas, hoje nele consigo enxergar que as portas sempre tiveram abertas, e circularam várias pessoas que eu permiti mas, que externamente nunca expressei.

Eu quero assim como fiz com toda minha vida, viver intensamente os momentos e as oportunidades que a vida me da. Somente assim vou poder chegar no fim da vida, espero eu que bemm velhinho, e dizer que pude viver com plenitude tudo que sonhei.

Como você se define? por Lizzie Velasquez 

Uma das frases mais marcante dessa palestra pra mim foi “Você é o motorista da sua vida, pegue a direção dela. Você que vai guiar sua vida para o caminho bom ou ruim.”

Acho que deu para perceber que o sofrimento adquirido na infância não atinge somente os gays. Escolhi esse vídeo, dessa mulher, para mostrar para as pessoas que leêm meu blog que também vivem nesse mundo de aparência externas, que é possivel sim mudar os padrões e as vozes que ainda soam em nossas mentes. 

Ultimamente venho percebendo que o meu dialogo interno é muito nocivo pra mim. Ele muitas vezes joga contra. Parece loucura dizer isso mas, ele é apenas um reprodutor contínuo de frases, falas, olhares e lembranças que vi e vivi a vida inteira. 

Depois de ler o livro Como Manter a Mente Sã, começar a fazer terapia e frequentar a Deeksha, pude me silenciar - Sim, não pensar em nada. Uma tarefa difícil, que ainda não consegui fazer com plenitude, e foi aí que percebi que minha mente fala de mais. Fala muita coisa que eu não estou vendo ou ouvindo no momento que estou vivendo - meio esquizofrênico isso, mas pare para analisar

Quantas vezes minha própria mente me deprecia, não me elogia, não me apoia, me desencoraja, me põe literalmente para baixo, me fazendo desacreditar do possível. Eu admiro muito as pessoas como a Lizzie que com a força interna conseguiu perceber que não importa o que as pessoas a sua volta dizem ao seu respeito, essas palavras que entram dentro dos seus ouvidos não podem te definir.

A minha grande questão desses meus 26 anos, é quem eu sou? Não quem sou como profissional, como amigo, como músico ou mesmo no sexo. Digo quem sou eu para mim mesmo?! Será que estou sendo verdadeiro comigo mesmo e com meus pensamento? Será que já não me boicotei de mais? Será que estou me permitindo? Quem está me amarrando e onde estão minhas amarras?

Para finalizar esse post deixo um mantra, que pode ser uma música ou um poema:

As belezas do universo
Só esperam por você
Confiar no seu destino
Para com ele aprender

Tudo em suas mãos
O céu, o sol e o chão
Você já sabe disso
Mas às vezes diz que não

Todos querem ser felizes
Todos querem pertencer
Mas ainda insistem em plantar
O vício do sofrer

O tempo acabou
Sofrer já é em vão
E todos só esperam
Essa sua decisão

Vem cá se abrir,
Se unir com o ar no ato,
No alto, no lar

Ser feliz e contente
Sem se conter
Se quiser, tente

Ser feliz e contente
Para crescer
É a semente

Ser feliz não quer dizer
Se esquecer da escuridão
É um tipo de certeza
Que nada está em vão

Tudo em seu lugar
Dançando em comunhão
No rumo inevitável
A eterna evolução

Mas quanto antes descobrir
Este poder de escolher
Vai poder facilitar
Que aconteça o florescer

Do potencial,
Do seu coração
Esse é seu dom, é seu direito
Seu dever, sua missão

Vem cá se abrir,
Se unir com o ar no ato,
No alto, no lar

Ser feliz e contente
Sem se conter
Se quiser, tente

Ser feliz e contente
Para crescer
É a semente

Ser feliz e contente
Sem se conter
Se quiser, tente

Ser feliz e contente
Para crescer
É a semente

Sem se conter

Ser feliz e contente
Para crescer

As belezas do universo
Só esperam por você

Ellen Page assume que é gay 

Até alguns minutos atrás eu não fazia idéia de que era a Ellen. Não me lembrava de ter visto filmes com ela mas, me disseram que ela é bem famosa, e só acreditei nisso quando vi várias pessoas comentando o fato dela ter se assumido gay. Pensei - mas tem tanta gente se assumindo hoje em dia, porque ela é tão especial?

Tive que acessar o vídeo acima e ver o que a saída dessa garota do armário representa pra nossa comunidade. Ela de uma forma muito honesta se expos nesse evento com o único propósito. Ajudar outras pessoas e mostrar para elas que não estão sozinhas. 

Acho q é isso, vejam o video e se inspirem.

A maioria de nós sente que os outros não vão tolerar a nossa honestidade emocional, e por essa razão preferimos defender a nossa desonestidade, alegando que isso poderia ferir os outros, e tendo racionalizado e transformado a nossa falsidade em nobreza, contentamo-nos com relacionamentos superficiais.

E depois de tudo, como está aqui dentro?

image

De play no som e comece a ler esse pequeno grande post.

Demorei alguns meses parar escrever mais uma vez aqui nesse blog. Eu não lembrava mais da importância dele na minha vida, então não fazia mais sentido escrever nele. Mesmo assim o número de acessos não diminuiu. - Isso mostra que ele deu certo.

Um assunto delicado 

O que eu estou procurando?

Mais uma vez me decepcionei. O que estou fazendo?

Me entreguei a amores? O que estou dizendo?

Não quero mais saber de nenhum homem na minha vida. O que estou pensando?

Esse ano os meus 0,20 centavosa gota d’água - foi essa mensagem:

Bom dia seu lindo!! Me distanciei um pouso sim, pq vc sabe que não quero relacionamento! Acho que estamos em vibes diferentes! Não quero te machucar ou algo parecido!

Depois de um 2012 conturbado, complicado, cheio de notícias pesadas e fortes para uma pessoa que na época tinha acabado de fazer 25 anos, eu decidi que meu 2013 seria diferente.

Foquei muito mais no meu crescimento profissional, trabalhei muito, troquei de emprego, conheci pessoas maravilhosas. E nesse caminho me foquei em conhecer UM HOMEM, que valesse a pena estar junto. 

Minha primeira tentativa veio depois de 7 meses sem sair com ninguém desde meu aniversário de 25 anos, conheci um rapaz.

Como o Samuca conhece os caras que sai? Ele procura em sites de relacionamentos e aplicativos e não tem vergonha de assumir essa sua dependência em usar esses facilitadores. Mas que já percebeu depois de anos o real motivo para eles existirem, sexo.

Não rolou a química? Como assim gente, somos então seres somadores, que se átomos e prótons não combinam não nos relacionamos? - No meu caso quando o assunto são sentimentos, eu não costumo mentir. Se encontro alguém com o intuito de ter algo mais palpável e menos fluido que de costume eu procuro ouvir meu coração.

Foi depois que saí com esse rapaz, que percebi que não adiantava a pessoa parecer uma “boa pessoa” que não era isso que fazia ela ser a “pessoa certa”.

Retrospectiva do meu ano.

Conheci um rapaz 11 anos mais velho que eu, quem me conhece sabia do meu preconceito de sair com pessoas mais velhas. O destino colocou uma pessoa maravilhosa na minha vida que na época tinha 37 anos - não aparentáveis. Que eu conheci num site de ursos, mais uma vez usei a tecnologia, a internet para facilitar o meu encontro com alguém.

Preguiça? Talvez.

Falta de coragem para chegar em alguém ao vivo? Talvez.

O destino querendo me ensinar algo? Provavelmente.

Esse homem, sim, homem, formado, educado, inteligente, simpático pelo menos comigo, bom de cama… Foi meu companheiro por alguns meses… sim gostei da inteligência dele, - ressalto as nossas conversas… e de como algumas vezes me senti diminuído por achar ele tão sábio mas, isso não me afastava dele, me dava forças p querer aprender mais. Não o amei, ou amei e não falei, ou não era pra ter dado certo, pois com alguns meses o conhecendo fui me afastando, até não o ver mais.

Nesse intervalo eu conheci um outro rapaz, dessa vez num app chamado scruff. Esse rapaz com uma vida social muito estabilizada, financeiramente sustentada, de uma família importante no bairro e no ambiente que frequentava, frequentador de igreja evangélica não inclusiva. Aí que encontrei o grande problema para permanecer com ele.

Preconceito? Não.

Intolerância religiosa? Muito menos.

Como havia conversado com ele algumas vezes, o estilo de vida que ele levava, não me agradava - uma vez que sou militante lgbt, sou defensor da liberdade independente, procuro aprender e aceitar as pessoas como são, suas cores, religiões, orientação sexual e identidade de gêneros. Não consegui suportar por muito tempo uma pessoa que não aceita religiões de matriz africana, que não respeita um travesti, que não entende que a sua liberdade é podada uma vez que tem que representar o que não é só para não perder o céu a igreja. Bom, não deu certo por muito tempo.

O ultimo que eu conheci também por esse aplicativo citado no caso anterior. Esse mexeu muito mais que eu podia imaginar, e esse fato que me fez pensar muito antes de escrever esse post  - o que de fato eu senti por esse rapaz, foi realmente mais intenso que os outros que conheci?!

Já estava nos últimos dias dos meus 25 anos. Querendo dar uma conclusão para esse período conturbado da minha vida. Onde durante alguns dias dessa passagem de ano, me vi muito mais ligado ao minha família, amigos e minha espiritualidade. Num resumo bem seco do que foi meus 25, eu posso dizer que deixei de ser O garoto Samuca e me tornei O homem Samuel. Tendo consciências de todas as minhas escolhas e conseqüências, de todos os meus atos e retornos. Percebi tudo isso e em um momento mega carente deixei que esse ultimo rapaz entrasse na minha vida. 
Foram apenas dois encontros, apenas duas noites, apenas duas semans de conversas por whatsapp e telefonemas, apenas minha mente por duas semanas analisando todas as dores, decepções e frustrações das antigas tentativas, e colocando muitas expectativas em cima de uma pessoa que tinha acabado de conhecer.

Ele era o meu tipo. E existe isso?

Ele tinha as qualidades que eu esperava encontrar em alguém.

Ele pensava como eu penso.

Ele era bom de cama.

Olha a química aí de novo, e dessa vez ela poderia produzir uma bomba atômica de tão forte.

Expectativa, ansiedade, decepções, momento certo e hora errada. Todas esses clichês fortes em nossas vidas - ou pelo menos na minha. Me fizeram apegar a uma pessoa que não queria se apegar a ninguém, que tinha - segundo suas palavras - acabado de terminar um relacionamento de 1 ano e meio, um casamento com um outro rapaz que perdeu o sentido de existir. Que ele estava querendo conhecer pessoas, que ele não era um canalha, que gostava de sair comigo, que eu era uma ótima companhia, que gostava de ficar e conversar comigo…

Fantasiei um futuro.

Sonhei com possibilidades.

Pela primeira vez não tive vergonha ou medo de demonstrar o que senti. Pela primeira vez talvez não, mas talvez pela primeira vez no ano eu consegui me ver num relacionamento com alguém.

Não estou com ele, pois como podem ver na mensagem lá em cima, ele achou que eu era fraco talvez?! Ou talvez tenha achado que eu iria me machucar menos?! Ou talvez como eu mesmo pensei, que ficar com alguém bacana como eu assusta mais do que ficar com gente vazia-  se isso pareceu prepotente, não devia, pois devemos pensar sempre que somos as melhores pessoas que conhecemos e fazer com que isso seja uma verdade para todos que nos cercam. E eu fiz isso, não só com ele mas, com todos que saí a minha vida toda, não só os que mencionei aqui. 

Mas uma coisa é certa. Conversando com um amigo de facebook, ele me abriu os olhos para um detalhe. O começar uma relação não é uma coisa difícil, o difícil é encontrar a pessoa que está no mesmo momento que você está e se sentir atraído por ela, pela vida dela e pela conversa.

Destaquei essa última parte para que todos entendam. Que sexo não define duração de um namoro, casamento ou qualquer outra coisa. Quando eu percebo que esses pontos não estão sendo valorizado pela pessoa que estou saindo, eu caio fora. Quando percebo que a pessoa só está comigo por causa do estereótipo Negão/Ativo/Bem sucedido, eu perco todo o tesão.

O que aprendi com tudo isso? Que não devo me privar de conhecer as pessoas pessoalmente, que talvez os apps, sites e os meios facilítadores para conhecer homens, me fizeram perder um pouco o feeling do primeiro encontro, do flerte, da troca de olhares, do que falar com a pessoa na primeira conversa.

O que estou fazendo para me ajudar a aparar essas arestas e me conhecer mais, me valorizar mais, me encontrar? Terapia.

Como o “sistema” realmente funciona - parte 3

Esse vídeo mostra o perigo que estamos sofrendo com a ascensão da ignorância e das religiões protestante em nosso país. Olha o que está acontecendo em Uganda. 
Disseram pra mim que isso está longe de acontecer aqui, mas não está, tive uma grande discussão com um rapaz no meu facebook e mais alguns amigos entraram na briga para defender o ponto de vista mais racional. 
O rapaz, evangélico, queria me convencer que minha vida hoje era uma escolha, que eu errei em alguma coisa no passado, que ele n acreditava que eu tinha virado homossexual eu que como sou salvo um dia vou voltar atrás no meu caminho e voltar a ser “homem”. 

Bom como sempre deixo claro, esses tipos de discussões eu gosto muito, pois só através dela que consigo saber como estão a cabeça da galera que está indo a igreja todos os dias. 

Como já sabemos que nosso meio, não é uma comunidade tão unida como pensam. Deixo essa reflexão. Tenham em mente que eles são uma comunidade, e as idéias deles juntas fazem com que tenham força, mesmo que sem razão.

Como o “sistema” realmente funciona - parte 2

Vendo esse vídeo consegui ir um pouco mais além na minha luta contra controles mentais. É lógico que esse vídeo pode funcionar da mesma forma, mas cabe a você separar o que lhe servirá.

Mais uma vez eu explico que esse blog hoje tem a função de ajudar jovens gays de igrejas a se libertarem dos seus medos e incertezas e construírem uma vida de paz e felicidades, conquistando todos os seus sonhos e ajudando mais pessoas com as suas vidas.

Esse video explica como é simples controlar as pessoas, ele usa falas que quem passou por alguma igreja e a frequentou durante anos, se identificará. 

A cura gay!

Primeira parte de um desabafo

Pela primeira vez um canal de tv aberta nacional mostrou de forma prática como nós, homossexuais entendemos essa tal de cura gay.
Quem está defendendo essa posição são fundamentalistas que n acreditam em pluralidade em nenhuma estância. 
Acreditam em “verdades” de uma via só. Não e nunca terão espaços para diálogos. Um debate [ Debate é uma discussão amigável entre duas ou mais pessoas que queiram apenas colocar suas ideias em questão ou discordar das demais, sempre tentando prevalecer a sua própria opinião ou sendo convencido pelas opiniões opostas].

Não é o que vimos aqui nesse vídeo.

Simples e claro. Sou gay, sei que nasci gay, sou a prova viva de que nunca deixei de ser homossexual e mesmo quando não me relacionava com homens, meus desejos sexuais, afetivos e interesses sempre foram por homens. Vivi uma doutrina que não me permitia me aceitar exatamente como sou. Vivi um medo de não ser aceito pela sociedade. Vivi a sensação da rejeição de amigos e parentes pelo simples fato de me interessar pelo mesmo sexo. Vivi e vi nos olhos de muitas pessoas que se dizem cheias do amor de Deus, o que vi em certo momento no vídeo. 

Existem sim um exagero por parte dos fundamentalistas religiosos, e eles transformara o gay no novo “do mal”. Você não precisa ir muito longe, até os anos 90 eles costumavam atacar mais as religiões de raízes africanas - não que isso tenha mudado -  Mas como a sociedade interna dentro do mundo gospel cresceu eles viram que assim como no “mundo”, eles tinham as mesmas dores e alegrias e diversidade que todos. 

evangélicos e umbandistas

Foi assim que o gay chegou no meio deles para ser o centro das atenções. Sim o centro hoje não é Deus, o centro hoje é transformar todos que não “aceitaram Jesus” em cristãos. 

Principios como respeito, amor, tolerância e cumplicidade são entendidos de outra forma dentro da cabeça de pessoas que “vivem pela fé” - Fé cega passada pelo Ditador. 

"Não existe verdade absoluta", já dizia Platão.

Não podemos negar que a sexualidade humana é plural. Não podemos negar também que o trabalho feito por muitas igrejas no resgate de vidas e na valorização da fé das pessoas trazem resultados. Só que usar esse mesmo recurso de libertação como amarras para segurarem seus fiéis é errado.

Segunda parte de um desabafo:

Como o “sistema” realmente funciona.

A fé não tem nada a ver com leis e dogmas religiosos. Lá funciona mais ou menos assim:

Você vai a igreja porque está aflito, desempregado, enfermo ou com muitos problemas p resolver, tem certa dificuldade de organizar sua mente para achar uma solução.

Você entra e aos poucos consegue uma conexão mais profunda com seu eu interior, e começa a ouvir as palavras que são ditas la do pulpito. 

Mas enquanto você se desliga dos problemas, vc organiza-os em sua mente. Em meses o emprego “aparece”, a saúde é restabelecida, os problemas desaparecem.

O que foi isso? A fé em vc mesmo que voltou. Somente isso. 

Só que você ainda está dentro do templo, frequentando e aceitando como condição de pagamento pela graça recebida, tudo que lhe é imposto como verdade. 

O Pastor vira e diz, “ser gay é errado”, “amamos os gay mais repudiamos suas práticas”, “existe um mau por trás de tudo isso, ser gay é triste”. 

Existem dois receptores dessas palavras. 

O Hetero, que não nasceu gay - sim, precisa ficar claro isso - e conseguiu os benefícios pela fé. E o Gay - nascido gay e criado em um lar hetero, com costumes heteros, mas desejos e sentimentos homossexuais - esse também recebeu os benefícios pela fé.

O primeiro vai acatar as leis ditas pelo seu lider e rejeitar qualquer outra opinião que não seja essa. O nosso segundo personagem se sentirá confuso, pois até então o seu desejo nunca foi implico para conseguir uma graça.

O primeiro personagem vai perceber que esse segundo personagem com o tempo não aceita as ordens desse lider, começará a persuadir com palavras de ordem que o faça se sentir cada vez mais errado, e esse é o problema. A pessoa não se sente ruim pelo julgamento de um Ser maior, mas pelos seres menores. 

                     

Homens iluminados de verdade não estão nem aí se você é gay, lésbica, bissexual, negro, branco, amarelo, espírita, ateu, budista… Esses homens vem ao mundo para trazer o amor. A maior lei do mundo é o amor.

Pastor mostra como é facil enganar os fieis 

(Fonte: youtube.com)

E quando um garoto de apenas 12 anos consegue calar a sua boca e te faz prestar atenção em um vídeo sem edições e totalmente sincero.

Me choca ver um garoto de 12 anos tendo muito mais cabeça que muitos adultos atualmente. Consegui sentir a angustia dele na minha pele, do outro lado de uma tela de computador. 

Quer saber de uma coisa. Compartilhem muito isso aqui.

http://www.youtube.com/user/theochen9

Transtorno de personalidade narcisista é um transtorno de personalidade catalogado no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais.

Quem sofre do transtorno tende a se preocupar obsessivamente com a maneira com que os outros o enxergam, e também com aspectos que possam influir de algum modo na percepção de sua imagem, tais como poder, prestígio, vaidade, e até mesmo martírio.

Conheço muitos que não puderam quando deviam, porque não quiseram quando podiam.

François Rabelais ( escritor francês - 1494-1553)

Choque de realidade

Eh mano, li o texto abaixo e coloco minha mão a palmatória. Demorei p me assumir e isso me fez ter um bloqueio grande p relacionamentos, até conseguia no começo me impor mais numa balada ou sei la p conhecer caras p ficar. Depois vi a facilidade da internet e dos aplicativos p conseguir marcar p sair com pessoas. Usei eles durante muito tempo da minha vida como atalho p conseguir sair e n ficar na carência.
Agora q eu n uso mais nada disso, faz tempo, eu começo a perceber o quanto isso me prejudicou. Acho q muitas vezes a sensação que eu tinha de ser livre, e ter uma cartela de caras p ficar como cardápio me acostumou mau, hj e dificil eu olhar p alguém, sem pensar na tal lista de interesses que na minha mente (e isso eu to tentando mudar), lista essa que só tem atrativos físicos, detalhes do corpo, cabelo, jeito mas, n p a pessoas de verdade, amizade, companheirismo, aprendizado.
Eu sempre tenho o discurso pronto e coloco o outro como o grande problema de eu nunca ter me envolvido mais a fundo, o denominador comum de todas essas relações que eu ja tive com outros caras sou eu, por isso parei de sair e comecei a me analisar. 
Nunca fui p darkroom mas, o grindr e esses sites de relacionamento são a mesma coisa ou pior. Por mais q eu diga q algumas vezes eu realmente procurei alguém bacana neles, p um namoro, eu hj vejo q já começava errado, pq o que eu via eram fotos de corpos expostos, escolhia o que me interessava, lia o perfil e se gostasse das características eu saia só que chegava na hora da conversa, n rolava, ou o contato pós primeiro encontro n existia, ou mesmos o sexo era o suficiente p o outro dizer “eu te amo” pra mim (lógico q eu fugia desses).

Leiam esse texto.

http://osentendidos.com/2013/04/17/curiosidades-gays-brasileiras/

 

             image

O Feliciano é uma benção de Deus. Ele é tão nazista, arcaico e egoísta que enfim estamos acordando para a homofobia e o preconceito. É um mal que vem pra bem. É tão absurdo e forte, como se quem não pensa como ele estivesse associado ao demônio, possuído. Aconteceram coisas que doeram na minha alma. E, para ser contra essa aberração, quem antes não queria chocar a bisavó está se assumindo. Graças a isso, a homofobia daqui a pouco vai acabar, como acabou a escravidão.

 Letícia Sabatella 

Vejam e compartilhem esses vídeos!

"…Houve um tempo que nós precisávamos nos encontrar nos porões da clandestinidade para viver nossa sexualidade, pra viver nosso desejo, esses tempos podem voltar, não deem como favas contadas a liberdade que hoje a gente usufrui, essa liberdade foi conquistada com sangue de pessoas que vieram antes de nós…"

[SSEX BBOX] com Jean Wyllys - part I from SSEX BBOX on Vimeo.

[SSEX BBOX] com Jean Wyllys - part II from SSEX BBOX on Vimeo.