24
Maio

 Do lado de fora do armário não sufoca.

No dia 06/05/2012 foi um dia muito especial pra mim, foi comemorado o dia das mães na ong Projeto Purpurina, que eu faço parte a quase 3 anos. E pela primeira vez consegui levar parte da minha família para essa festa. 

Nesse dia pais e filhos contam para as pessoas presente como foi a experiencia e a superação que tiveram quando souberam da sexualidade do filho ou filha. Como muitas pessoas ali presentes acompanham esse blog já sabem de cor o meu lado da história que você pode ler clicando aqui.

     Mãe, Léo e eu.

Me segurei muito nesse dia pois além de ter o depoimento emocionado das pessoas que mais amo no mundo, tive a surpresa de naquele dia estar presente a Regina uma grande amigona, que me ajudou muito no começo da minha aceitação. Essa mulher foi muito especial pra mim, ela faz parte do GPH e apareceu tbm nesse blog em alguns posts. Quando ainda não entendia muita coisa que passava comigo e nem de que forma contar para os meus pais o que estava acontecendo comigo, ela com a experiencia que teve dentro de casa com o filho dela, pode me orientar.

Regina foi um grande anjo na minha vida, ela a pedido da Edith Modesto, foi minha conselheira, a escolha dessa grande mulher não foi por acaso, como todos sabiam que fazia parte de uma igreja evangélica, a Edith escolheu a dedo qual das mães do GPH teria mais cuidado em me aconselhar, a Regina é da mesma igreja que eu frequentei e que minha mãe frequenta até hoje. Foi muito importante as conversas que ela também teve com a minha mãe. Só um detalhe que ainda não mencionei é que nunca havíamos nos vistos pessoalmente, tentamos por diversas vezes mas nesses três anos, nunca conseguimos. Foi muito especial conhece-la e saber o quanto eu consegui evoluir desde então.

  eu

Sim é isso ae, o único conselho que tenho para esse post é que olhando para trás não me arrependo do modo que conduzi minha vida, as escolhas que fiz - não da sexualidade porque ela não é uma escolha - mas de que forma tocar as coisas para que elas se resolvessem da melhor forma possível.

Se algumas pessoas que tem acesso a esse blog percebessem que o que te faz especial não é a sua sexualidade e sim seu caráter, suas atitudes, sua honestidade, respeito e todas as outras boas qualidades que um Ser Humano deve e pode ter. Hoje estou tão distantes das coisas que me amedrontavam que não importa quem ou o que falem a respeito da minha condição sexual, já não tem força na minha vida.

A lição maior que consigo disso tudo é essa:

O amor vence! 

Vence o preconceito, o medo, a ignorância, a religião, a homofobia e a violência.



Preste atenção na letra dessa música…